Produtos relacionados ao trem de força Sistema de gerenciamento de motores a diesel

Este sistema eletrônico de gerenciamento de motores a diesel aumenta de maneira significativa a eficiência de combustível fortemente pressurizando o diesel (2500 bar) e usando um sistema de controle de injeção de feedback, o que possibilita um menor consumo e menos emissões. 

Componentes

Unidade de controle eletrônico do motor

A ECU do motor controla o motor a diesel em resposta às alterações de velocidade do motorista enquanto mantém emissões limpas do escape do motor. Com base nas informações fornecidas pelos sensores, a ECU envia comandos para os dispositivos que controlam a sincronismo e a quantidade da injeção de combustível e mantém as emissões do escape limpas. Ela também diagnostica se os dispositivos de controle do motor estão ou não em boas condições.

Aquecedor da admissão

Sensor de temperatura do ar de admissão

Acelerador eletrônico de diesel

O acelerador eletrônico de diesel reduz a quantidade de ar fresco aspirado pelo motor a diesel. Este dispositivo aumenta a quantidade da recirculação do gás de escape (EGR), que é o processo de circulação de uma parte do gás de escape junto com o ar fresco de volta para o motor, o que reduz a produção de óxidos de nitrogênio (NOx).

Bomba de alimentação

Em motores a diesel, o combustível é injetado e atomizado no ar comprimido e aquecido dentro do cilindro, então essa mistura de ar e combustível entra em ignição espontânea para produzir o impulso. O combustível deve ser fortemente pressurizado para que atomizado de maneira instantânea e injetado no ar comprimido. A bomba de alimentação, um componente importante no sistema Common Rail, aumenta de forma significativa a pressão do combustível fornecido do tanque.

Injetor solenoide

Em motores a diesel, o combustível é injetado e atomizado no ar comprimido e aquecido dentro do cilindro, então essa mistura de ar e combustível entra em ignição espontânea para produzir o impulso. Os injetores solenoide injetam o combustível fornecido sob alta pressão nos cilindros do motor. Esses injetores de combustível, componentes muito importantes do sistema Common Rail, constituem-se individualmente de um controlador de válvula que funciona com base nas instruções da ECU do motor (computador) e um bico com um orifício fino, com diâmetro interno de aproximadamente 0,1 mm.

Trilho

O trilho é um reservatório cilíndrico à prova de pressão para o combustível, altamente pressurizado pela bomba de alimentação. O trilho, que dá nome ao sistema Common Rail (trilho comum), permite que os injetores sempre injetem o combustível com a pressão ideal nos cilindros do motor.

Sensor de pressão do sistema Common Rail

Velas cerâmicas de ignição

Em motores a diesel, o combustível é injetado e atomizado no ar comprimido e aquecido, então essa mistura de ar e combustível entra em ignição espontânea para produzir o impulso. As velas cerâmicas de ignição são dispositivos eletricamente aquecidos que garantem a ignição durante partidas a frio.

Válvula da recirculação do gás de escape (EGR) (tipo com motor CC)

A recirculação do gás de escape (EGR) é o processo de circulação de uma parte do gás de escape, produzido pela combustão do combustível no motor, de volta para o motor. A válvula da EGR com motor CC controla a quantidade da recirculação do gás de escape. A EGR reduz a produção dos óxidos de nitrogênio.

Sensor de temperatura do gás de EGR

A Recirculação do gás de escape (EGR) circula uma parte dos gases resultantes da combustão do combustível de volta para o motor. O sensor de temperatura do gás de EGR mede a temperatura do gás de escape recirculado. O processo de EGR reduz a produção dos óxidos de nitrogênio. Identificando a temperatura do gás de escape recirculado, a EGR pode ser realizada de maneira mais eficiente.

Sensor de temperatura do gás de escape

O sensor de temperatura do gás de escape mede a temperatura do gás de escape vindo do motor. Esse sensor monitora se o filtro de partículas de diesel (DPF) está aquecido com a temperatura ideal para queimar a fuligem acumulada. A fuligem acumulada com o passar do tempo deve ser queimada periodicamente para evitar que o DPF seja obstruído por ela.

Filtro de partículas de diesel para o sistema de redução de NOx nas partículas de diesel

Instalado no cano de escape, o filtro de partículas de diesel (DPF) remove a fuligem dos gases de escape do diesel. Os DPFs são feitos de paredes cerâmicas com vários pequenos furos invisíveis a olho nu. Quando os gases de escape atravessam as paredes porosas, as partículas de fuligem ficam presas no filtro.

Sensor de pressão do gás de escape

O sensor de pressão do gás de escape mede a pressão do escape no cano de escape do motor a diesel. Na verdade, ele mede a diferença na pressão dos gases de escape antes e depois de o filtro de partículas de diesel (DPF) capturar a fuligem presente neles, para indicar até que ponto o DPF está obstruído com fuligem acumulada.